WindFloat Atlantic encerra 2023, atingindo 80 GWh!

WindFloat Atlantic encerra 2023, atingindo 80 GWh!

O nosso projeto WindFloat Atlantic, o primeiro parque eólico flutuante semi-submersível do mundo, conectado à rede no final de 2019 e comissionada em 2020, está agora a concluir o seu terceiro ano completo de operação, encerrando o ano de 2023 com uma produção elétrica de 80 GWh!

O WindFloat Atlantic encerrou também o ano de 2023 quebrando mais recordes, com a tempestade Ciaran apresentando desafios sem precedentes, com ondas atingindo uma altura máxima impressionante de 20 metros e rajadas de vento de até 139 quilômetros por hora!

Estas condições extraordinárias ultrapassaram significativamente os nossos registos anteriores do projeto, demonstrando a prontidão e robustez da tecnologia flutuante, mesmo em condições extremas em alto-mar. Este sucesso sublinha a nossa confiança não apenas no potencial eólico offshore de Portugal, mas também na prontidão da tecnologia eólica flutuante para uma escala comercial. Com três anos de operação bem-sucedida, fica demonstrado que a tecnologia flutuante é madura e fiável mesmo em ambientes desafiantes, o que permitirá desbloquear oportunidades de energia eólica offshore em todo o mundo.

E isso não é tudo! O WindFloat Atlantic também tem sido um centro de soluções inovadoras e projetos piloto, sendo uma parte fundamental nos testes de projetos como ATLANTIS, que defende a integração de robótica em fazendas eólicas offshore para diminuir o custo nivelado de energia (LCOE) ao minimizar a dependência de embarcações de apoio para operações de inspeção e manutenção offshore, demonstrando o compromisso do projeto em contribuir para iniciativas transformadoras que otimizam a eficiência operacional e desenvolvem soluções inovadoras.

A equipa do WindFloat Atlantic também manteve a colaboração com a comunidade portuguesa e de Viana do Castelo, impulsionada por um forte compromisso com o impacto positivo nos intervenientes locais, incluindo programas educativos como Wind Experts, e atividades locais e patrocínios dentro de Viana do Castelo.

Simultaneamente, a equipa também trabalhou na gestão ambiental, onde foram alcançados resultados positivos através de estudos ambientais realizados na área do projeto, e avançou na recolha de dados sobre o impacto da energia eólica offshore, demonstrando o compromisso com o desenvolvimento responsável e sustentável do projeto.

O WindFloat Atlantic está a exceder as expectativas de produção estabelecidas para este projeto e considerando que estará em operação nos próximos 25 anos, o impacto positivo do WindFloat Atlantic nunca deixará de aumentar. A pioneira quinta eólica consiste em três plataformas, cada uma com uma turbina Vestas de 8,4 MW instalada, que estão ancoradas com correntes ao leito marinho e conectadas à subestação em terra.